Dia 16 de junho é um dia marcante para os amantes brasileiros e espanhóis do futebol. A data em 1950 marca a abertura do lendário estádio do Maracanã na primeira copa do mundo no Brasil. Já em 2010, lembra aos espanhóis seu único tropeço na campanha vitoriosa na África do Sul.

Horas após a essa derrota, começávamos a primeira reunião que daria origem à SER. Pentacampeões, eu e David Fontes, consolávamos David Rodríguez, nosso espanhol, com alguma ironia: “não desanime!”, brincamos, eu e David Fontes. De fato, eles não desanimaram e, vinte e cinco dias depois, na prorrogação, Iniesta decretaria a conquista do único titulo mundial da Espanha.

Assim, nascia a SER; uma comunhão de ideias, práticas e culturas e as mesmas pessoas que conceberam a empresa, a conduziram nesse primeiro decénio e a projeta para os próximos dez.

Em 2010, no Brasil, a energia fotovoltaica era apenas uma fonte teórica de possível geração. Não existia em nossa matriz, não constava nos planos decenais dos órgãos públicos ou das grandes corporações.

As especulações sobre a fonte solar apontavam o custo como seu maior desafio. Hoje, a síntese da competitividade da fonte, de lá para cá, fez o MWh cair de US$ 200 para US$20 no mercado de geração centralizada.

Ainda em 2010, desenhávamos a estratégia da SER para desenvolver usinas centralizadas de 30 MW no nordeste brasileiro, em alta solarimetria, com painéis fixos, módulos de filme fino com o menor CAPEX possível. Compramos e arrendamos propriedades que deram lugar a projetos e a usinas dentre as melhores em operação.

Não existia mercado regulado ou livre para a fonte solar. Coletivamente, o setor que se amalgamava. Reuníamo-nos nas dependências da Abinee que organizara um grupo de trabalho para lidar com a fonte. A Absolar, da qual a SER é uma das oito sócias-fundadoras, surgiria apenas anos mais tarde para ajudar a organizar o setor e a institucionalizá-lo.

Hoje, quando nos aproximamos dos 2 GW em operação, em construção e projetos vendidos, caminhamos firmes para disponibilizar outros 5 GW até o final de 2020. Aos poucos, tornamo-nos uma referência técnica e gerencial com compromissos de longo prazo.

Participamos dos esforços para tornar a fonte solar numa alternativa energética diuturna, internacionalizando ainda mais nossas pesquisas e contatos, aumentando o grau de digitalização em todas as fases do nosso negócio e qualificando diferenciadamente nosso capital humano, a SER visualiza seu futuro como um player relevante no setor solar na região latino-americana.

Murilo Sampaio CEO

first-place